segunda-feira, 27 de junho de 2011

Acampamento de Páscoa Abril 11 - Parte 2

Meu testemunho

Rá, eis aqui então a continuação do post mais enrolado e atrasado que já fiz. Quanta paciência hehehe. O segundo dia foi ainda melhor que o primeiro, fechando a noite com a noite da fogueira (que não deu pra fazer fogueira - foto do meu testemunho acima) e o show de talentos.
Caso não tenha lido a primeira parte ainda, clique aqui.


Bom, acordei no segundo dia com um pouco de dores nas costas. Colchão "mole" só é bom se você dorme no chão (ou aquele colchão era muito ruim), mas nada de mais, afinal, tinha que sair do meu comodismo, não? Well, o segundo dia no PV foi tão bom quanto o primeiro. Tivemos o café da manhã e logo após uma ótima preleção. Eu saciava minha sede de conhecimento com aquelas palavras, mas eu ainda não tinha certeza do real propósito da minha pessoa naquele acampamento. Após as preleções, nós nos reuníamos nos grupos célula, porém, desta vez separamos também meninos e meninas, pois debatemos alguns assuntos mais íntimos ligados a sexualidade.

O almoço, como sempre, estava ótimo. À tarde haveria as "Olimpíadas Godgle", que eu estava cansado demais para participar. O cansaço era tanto, que após o almoço fui para o quarto e ao ver alguns tirando um cochilo, resolvi fazer o mesmo. Meu cochilo foi até as 4 horas da tarde; mas foi um cochilo bem cochilado. Não que eu não tenha acordado antes, mas não sei o porque que meu celular estava sempre apontando 14:38, sendo que deitei por volta das duas e quinze. Lembro que acordei com um pulo com o Michel dizendo: acorda, vamos ensaiar.

A noite, como todas as vezes que fui ao PV, tivemos pizza de janta. Não julgando as pessoas, mas era triste ver pessoas "repetindo" sem que algumas outras pessoas houvessem comido ao menos um pedaço e ainda por cima "furando a fila". Gente, parece que nunca viram comida? Tinha pra todo mundo! Mas tudo bem, fiquei na minha. Comi o suficiente, e não demais; isso foi bom.

Enquanto a chuva começa a chover (e aumentava cada vez mais), aguardamos todos no quarto, dessa forma:



video



Uma das melhores partes do acampamente é o que veio a seguir: a fogueira. Por infelicidade, os dois anos que fui ao PV choveu (justamente) no momento da fogueira, havendo a necessidade de fazermos o "momento" dentro do ginásio, mas sem fogueira. Este "momento" é onde pessoas podem ir a frente de todos e dar seu testemunho. É realmente muito tocante ver o que Deus faz na vida das pessoas, e desta vez eu criei coragem e dei o meu testemunho. Vi que ninguém tinha aparecido e fui, apenas minhas pernas me levaram. Eu não havia pensado direito no que falaria, não havia ensaiado e nada; de última hora eu levantei e fui e comecei a falar aquilo que meu coração queria dizer. Percebeu-se tudo isso pelo fato de eu ter repetido várias vezes a mesma coisa, por exemplo, mas acredito que quem deveria receber a minha mensagem, entendeu. E foi gratificante!

Outra programação bastante esperada era o "Show de Talentos (o nome era "Qual é o seu talento?"), e logo após acabar a "fogueira", iniciaram-se os preparativos para o evento. Para nós de Bento, tínhamos nos inscrito em 3 categorias: música, habilidade extraordinária e imitação. A primeira categoria era música e antes mesmo de chegar a nossa vez de tocar, começaram alguns problemas "técnicos". Neste momento, o mundo estava caindo lá fora. Os problemas técnicos que me refiro é que algumas fases da luz estavam simplesmente caindo. Quando chegou a nossa vez, tocamos sem retorno (pois os mesmos estavam no lugar dos PA's, que "caíram"), sem luz nenhuma de iluminação (apenas um holofote na nossa cara), mas mesmo assim tocamos, pois para Deus, não há condições adversas que impossibilitem o louvor. Confere aí:


video


Como vocês podem ver, no final do vídeo, uma parte das luzes volta. Depois da categoria de músicas era a vez das esquetes. Apresentaram uma esquete (se não me engano) e acabaram cancelando tudo, pois não tinha mais condições com a luz "indo e vindo" e "parte sim parte não". E nesta noite Deus nos mostrou que quando fazemos algo devemos pensar no que Ele quer que nós fazemos e não o que nós queremos. E assim, com a natureza nós atacando fortemente, saímos de vez do nosso comodismo para entender de verdade a graça de Deus.

Conversei com algumas pessoas antes de me retirar e assim acabou o segundo dia, com tudo dando errado aos nossos olhos, mas percebendo que Deus estava acertando as coisas e nos dando uma grande e bela lição.

Continua...


Mais fotos do segundo dia no Flickr da Aliança de Caxias ;)